Uma grávida muito bonita ao pé do mar.

O momento mais emocionante na vida de uma mulher!

Durante a gravidez, o seu mundo sofre uma enorme transformação. O seu corpo muda, as suas hormonas ficam alteradas e, muitas vezes, não sabe o que a espera. Com o nosso guia de ajuda, acompanhamo-la ao longo da gravidez e oferecemos-lhe dicas importantes sobre nutrição e outros assuntos que a podem preocupar durante a preparação para o parto.

Perfeitamente preparada para o parto e para a amamentação

Já não falta muito para o nascimento. E, certamente, já estará a pensar no que a espera. Temos todo o gosto em ajudá-la, para que esteja o mais bem preparada possível.

O que é preciso levar na mala para a maternidade?

Está quase a chegar a hora – o dia do parto está cada vez mais próximo. Para que a mãe e o pai não se esqueçam de nada na excitação do momento, devem pensar com antecedência, no que devem levar na mala para a maternidade. Preparámos uma lista para os ajudar. A partir do sétimo mês, a mala deve estar pronta a levar, com todas as cpoisas indispensáveis lá dentro, caso o bebé decida chegar um pouco mais cedo.

A nossa dica: mantenha a sua mala num local acessivel, onde seja bem visível e fácil de pegar, não vá o bebé ter alguma ideia engraçada e decidir surpreender todos. desde o primeiro instante. Mais importante, lembre-se de dizer ao futuro papá onde a colocou.

  • Documentos importantes
  • Para você
  • Para o bebé

Documentos importantes

Para você

Para o bebé

Boa nutrição durante a gravidez

Existe uma regra de ouro fácil no que toca à nutrição durante a gravidez: deve ser variada e saudável. Não é necessário pesar tudo na balança, comprar só em lojas de produtos integrais ou mudar completamente a sua alimentação.

Tap on Spots To find out more

Proteínas

O seu bebé necessita de muitas proteína para o desenvolvimento de vários tecidos do organismo. As proteínas são os elementos constitutivos mais importante das nossas células.

Uma combinação de proteínas de origem animal e vegetal é o ideal. Algumas fontes de proteína animal são o leite, o iogurte, o requeijão, o queijo, os ovos, o peixe e a carne magra. Algumas fontes de proteína vegetal incluem batatas, frutos secos, cereais integrais ou produtos de soja. Não deve deixar de comer carne durante a gravidez porque contribui para o fornecimento de nutrientes essenciais. Para isso, uma ingestão semanal total de 300-600 g de carne e carnes frias (mas sem produtos crus!) é suficiente durante a gravidez. Certifique-se de que come a carne sempre bem cozinhada ou bem passada.

Hidratos de carbono

Os hidratos de carbono, que regulam os níveis de açúcar no sangue com a ajuda das hormonas insulina e glucagon, são uma importante fonte de energia – e o seu bebé depende deles.

Se os seus níveis energéticos não forem suficientes, depressa sentir-se-á fraca. É importante ter em conta a qualidade ao escolher uma fonte de energia. Os produtos integrais, os legumes, a batata e a fruta libertam energia lentamente para o corpo. Os alimentos açucarados, por sua vez, desencadeiam rapidamente a fome e o desejo de comer mais. O nosso conselho: coma bem, sinta-se bem.

Gorduras

As gorduras são importantes para o bebé porque estimulam o seu crescimento.

A ingestão diária de gordura (até 80 g) supera as necessidades do próprio bebé e contribui para a função de certas vitaminas que só conseguem ser absorvidas pelo organismo através da ligação às moléculas de gordura. As gorduras vegetais de alta qualidade (por exemplo, óleo de colza, azeite ou óleo de girassol) e as matérias gordas provenientes do leite são as ideais. Pode consumir manteiga, mas tenha algum cuidado com alimentos com um teor muito elevado de gordura, como carnes frias, batatas fritas, maionese, molhos e bolos, etc.

Vitaminas

Todos os processos importantes no nosso organismo são impulsionados pelas vitaminas.

Se fizer uma alimentação equilibrada, dificilmente terá carências vitamínicas, incluindo durante a gravidez.

As fontes mais importantes de vitaminas são a fruta, os legumes e os produtos lácteos. Para um maior potencial vitamínico, deve comprar frutas e legumes frescos, para serem consumidos preferencialmente crus ou cozidos a vapor em pouca água. Os legumes de folha verde contêm (entre outras vitaminas) o importante ácido fólico.

Minerais e micronutrientes

Os micronutrientes são necessários em quantidades muito pequenas. Com algumas exceções, conseguirá obtê-los em quantidade suficiente através das refeições diárias se fizer uma alimentação equilibrada. As seguintes substâncias desempenham um

cálcio e fósforo

Minerais importantes para o desenvolvimento e a manutenção dos dentes e ossos, tanto para si como para o seu bebé. O leite e os produtos lácteos são boas fontes de cálcio e fósforo.

potássio

Este mineral regula o equilíbrio hídrico, ou mais especificamente, a excreção de água dos tecidos. As bananas e os damáscos (frescos ou secos) são as melhores fontes de potássio. Se tiver um inchaço percetível nos braços e pernas, é fundamental que fale com o seu médico.

ferro

Sem ferro, o nosso sangue teria uma grave deficiência. O ferro é responsável pela produção de hemoglobina (Hb), o pigmento vermelho nas células sanguíneas. A sua função é transportar o oxigénio dos pulmões, através das artérias, para todas as células do corpo. Porém, só conseguimos obter o ferro através da alimentação. As melhores fontes são a carne, os frutos secos, o pão integral, as couves de folhas e a aveia. A vitamina C ajuda na absorção do ferro, enquanto o magnésio a impede.

Perguntas frequentes sobre nutrição durante a gravidez

  • Tenho sede: beber muitos liquidos, faz bem ao meu bebé?
    Tenho sede: beber muitos liquidos, faz bem ao meu bebé?

    Durante a gravidez, até os rins têm um funcionam mais rápido e precisam de mais líquidos para funcionar corretamente. Vai precisar de pelo menos 2 litros por dia. Os chás sem teína (camomila, cidreira, de frutas, limão, tília…) são também uma forma saudável de consumir água, desde que não tenham açúcar. Atualmente, existe alguma controvérsia em torno do café, mas estamos a falar de grandes quantidades. Não tem problema se beber até duas chávenas por dia. O mesmo se aplica ao chá preto. Tenha cuidado com as bebidas açucaradas: refrigerantes, coca-cola e alguns sumos de fruta têm uma enorme quantidade de calorias.

  • Posso comer peixe durante a gravidez?
    Posso comer peixe durante a gravidez?

    Se recomenda comer peixe uma a duas vezes por semana durante a gravidez, para a obtenção de ácidos gordos polinsaturados suficientes e como uma fonte rica em iodo e selénio. Os importantes ácidos gordos ómega 3 são abundantes nos peixes gordos de água fria como o salmão, a cavala, o arenque, o atum e a sardinha. No que diz respeito aos possíveis contaminantes encontrados em peixes grandes de água salgada, como o peixe escapada e o atum fresco, não devem ser consumidos pelo alto teor de mercúrio e metais. Se estas medidas preventivas de saúde forem seguidas, o peixe conta como um importante grupo alimentar para as grávidas. Se decidir não consumir nenhum peixe durante a gravidez, deve falar com o seu médico para iniciar uma suplementação de ácidos gordos essenciais. Alguns óleos vegetais, como o óleo de colza, de amendoim, são uma importante fonte. Existem também produtos à base de ómega-3 e suplementos dietéticos com ácidos gordos ómega-3 para garantir uma dose necessária. Consulte o seu médico se pretender tomar suplementos.

  • A questão do peso: até quantos quilos posso engordar?
    A questão do peso: até quantos quilos posso engordar?

    Nos primeiros três a quatro meses, a maioria das mulheres ganha peso devido ao aumento de apetite. Até ao parto, é expectável um total de 10 a 12 quilos adicionais. Isto é a média. Por exemplo, para si, pode ser menos, mas desde que se alimente o suficiente, está perfeitamente bem. Se ganhar muito mais peso, o seu médico deverá ficar atento para que fique dentro dos limites saudáveis.

  • Pré-eclâmpsia na gravidez.
    Pré-eclâmpsia na gravidez: quais são os sinais de aviso e o que devo fazer?

    A pré-eclâmpsia é uma doença que envolve hipertensão arterial e que pode estar associada a edemas e à excreção de proteínas na urina. Manifesta-se frequentemente através de inchaço nas mãos e nos pés. Em casos mais graves, podem ocorrer tonturas, dores de cabeça, sonolência, visão turva, náuseas e vómitos. Quanto mais grave for o caso, maior o risco de parto prematuro e de hipertensão arterial que pode pôr em risco a vida da mãe. De forma a reconhecer e a tratar a doença precocemente, é muito importante realizar exames pré-natais regulares. Alimentação à base de arroz e diuréticos não ajudam e não é aconselhável renunciar ao sal de mesa. Para mulheres grávidas saudáveis, assim como para as diagnosticadas com pré-eclâmpsia, é aconselhável uma ingestão normal de sal de mesa juntamente com uma alimentação equilibrada, rica em proteínas e com bastantes líquidos.

  • Fenilcetonúria materna – o que devo ter em conta?
    Fenilcetonúria materna: o que devo ter em conta?

    As mulheres que sofrem de fenilcetonúria ou hiperfenilalaninemia, e que estão grávidas, padecem de fenilcetonúria materna. Nesses casos, recomenda-se uma dieta rigorosa baixa em fenilalanina durante toda a gravidez. Os valores de fenilalanina no sangue têm de ser controlados frequentemente e a consultas regulares por um médico, devendo ajustar-se uma dieta baixa em fenilalanina em conformidade. Os níveis de fenilalanina do bebé são cerca do dobro dos da mãe. Níveis elevados de fenilalanina na mãe podem ser prejudiciais para o feto (incluindo o cérebro ou coração) ou podem originar um aborto espontâneo. Nestas circunstâncias, a gravidez deve ser bem planeada, recorrendo precocemente a um ginecologista a fim de se evitarem danos no feto nas fases iniciais da gravidez. Recomenda-se, portanto, que se inicie uma dieta rigorosa com baixo teor de fenilalanina sob supervisão médica antes da conceção.


Estamos aqui para ajudá-los!

Se tiver alguma dúvida sobre os nossos produtos entre em contato connosco, teremos todo o gosto em ajudá-los e aconselhá-los.

Contacte-nos