A Lua está em Festa

Há muito, muito tempo atrás, a Lua fez uma grande festa com as suas amigas estrelas. Elas riam, soltavam gargalhadas e cantavam em voz alta, de tanta alegria que sentiam, de tal maneira que as pessoas na Terra, até as podiam ouvir.

Há muito, muito tempo atrás, a Lua fez uma grande festa com as suas amigas estrelas. Elas riam, soltavam gargalhadas e cantavam em voz alta, de tanta alegria que sentiam, de tal maneira que as pessoas na Terra, até as podiam ouvir. A animação era tanta, que continuou durante toda a noite, e por causa disso, todas as crianças puderam ficar acordadas e brincar nas ruas e praças da cidade. Claro que para elas tudo isto era uma enorme diversão! A Lúcia e o Tomé até desejaram que a celebração no céu durasse para sempre.

Na manhã seguinte, como todas as manhãs, foram para o infantário. Estavam um pouco cansados, mas também assim estavam todas as outras crianças e até os adultos. Por isso, não foi assim tão mau que não pudessem prestar tanta atenção como era de costume.

Na noite seguinte, a festa continuou. Uma estrela particularmente atrevida piscava ao som da música. A luz brilhante incomodava a Lúcia e o Tomé, porque agora realmente eles gostariam de dormir um pouco, mas não havia nada que pudessem fazer a não ser saltar da cama e brincar no quarto. Estava demasiado barulho e demasiada luz para poderem dormir.

Na manhã seguinte, estavam exaustos. O Tomé até adormeceu enquanto tomava o pequeno-almoço. Pouco faltou para deixar cair a cabeça em cima da torrada com compota. A Lúcia quase que não ia a tempo de o segurar pelo ombro.

A caminho do infantário, viram um cão. Ele estava tão sonolento que nem prestava atenção à sua comida e arrastava-se cabisbaixo pela estrada. Felizmente, não apareceu nenhum carro.

«Será que um condutor cansado teria reparado nele?» – perguntou Tomé a si próprio.

Já ninguém estava feliz com a festa que decorria no céu. Não brincavam nem riam como dantes, e as pessoas estavam cansadas e rabujentas. Os adultos zangavam-se facilmente com as crianças e até gritavam com elas. A Lúcia e o Tomé  estavam muito cansados e acharam que tanta festa já não era divertido e decidiram ir falar com a Lua e com as Estrelas  . «Por favor, não façam barulho, porque precisamos mesmo de dormir».

Demorou um pouco até que a Lua os conseguisse ouvir, tal era o barulho da festa. Foi então que deu conta de que as crianças estavam cansadas e sentiu muita vergonha por isso.

«Nem nos passou pela cabeça de que vocês, meus pequeninos, precisassem de dormir à noite» – a Lua pediu muitas desculpa. E prometeu acabar com as festas a partir desse dia.

Desde aquela noite, está tudo muito mais calmo no céu. Agora, a Lua e as estrelas apenas sussurram umas com as outras.

A pesar disso, de vez em quando, a estrela mais atrevida gosta de cintilar e continue com um brilho muito especial. Se olhares com muita atenção para o céu, talvez a consigas ver.

Por Sandra Kaletka de Frankfurt am Main